fbpx

Amnesia Scanner

Caso sério de criatividade na electrónica de veia experimental europeia, constroem um corpo de trabalho que explora as debilidades dos sistemas, o “overload” de informação e os excessos hedonistas.


Caso sério de criatividade na electrónica de veia experimental europeia, constroem um corpo de trabalho que explora as debilidades dos sistemas, o “overload” de informação e os excessos hedonistas.

a2258833945_10

Bbymutha

Natural de Chattanooga, Tennessee (EUA), a rapper independente, estreia-se em Guimarães e atira-nos à cara a necessidade de um novo discurso onde as mulheres podem ser sexuais, vulgares, agressivas e ambiciosas.

Já colaborou com artistas como Suicideyear, LSDXOXO, God Colony, captou a atenção de SZA e Kehlani, passou em DJ sets de Bjork, e consta nos tops do The Fader e Pitchfork.



Líder uma nova geração de rappers do sul da Europa, estreia-se em Guimarães e atira-nos à cara a necessidade de um novo discurso onde as mulheres podem ser sexuais, vulgares, agressivas e ambiciosas.

bbymutha

Born In Flamez

Derretendo as barreiras de género e as concepções de identidade normativa, Born in Flamez trabalha nas fronteiras entre o pop, lofi, grime e música clássica.


Derretendo as barreiras de género e as concepções de identidade normativa, Born in Flamez trabalha nas fronteiras entre o pop, lofi, grime e música clássica.

DuS_sRGW4AIYSa8

Chinaskee

São já várias as personagens e formas com que os vimos subir a palco. Deixaram cair os Camponeses sem que com isso perdessem a relação com a simplicidade e aura bucólica que marcou as suas anteriores edições.

Já passaram pelo Mucho Flow (2017), Paredes de Coura, e mais recentemente o ZigurFest, entre outros. Regressam ao Mucho Flow com “Malmequeres” (2017), “Metro e Meio EP” (2018), e também temas do próximo disco “Bochechas” a sair em 2020 pela Revolve.


São já várias as personagens e formas com que os vimos subir a palco. Deixaram cair os Camponeses sem que com isso perdessem a relação com a simplicidade e aura bucólica que marcou as suas anteriores edições.


Já passaram pelo Mucho Flow (2017), Paredes de Coura, e mais recentemente o ZigurFest, entre outros. Regressam ao Mucho Flow com “Malmequeres” (2017), “Metro e Meio EP” (2018), e também temas do próximo disco “Bochechas” a sair em 2020 pela Revolve.

64472641_894291747570714_8151321966112931840_o

Croatian Amor

Encontramos a face mais gentil de Loke Rahbek - música ambiental que circula por entre a tragédia e o conforto, procurando novas narrativas que estarão algures entre os espectros mais góticos de Arca e o terror dos Throbbing Gristle.


Encontramos a face mais gentil de Loke Rahbek - música ambiental que circula por entre a tragédia e o conforto, procurando novas narrativas que estarão algures entre os espectros mais góticos de Arca e o terror dos Throbbing Gristle.

77140_0002

Cæcilie Trier canta, compõe e é violoncelista com formação clássica. Neste registo, a dinamarquesa perpetua o limite pessoal onde intimidade é criada e calcada até ao extremo, numa procura constante de respostas.

Parte do showcase 10 anos da editora  Posh Isolation no Mucho Flow, CTM traz-nos “Red Dragon” o seu mais recente disco onde explora cordas acústicas e efemeridades digitais combinadas com vozes espontâneas e pedaços de electrónica.


Cæcilie Trier canta, compõe e é violoncelista com formação clássica. Neste registo, a dinamarquesa perpetua o limite pessoal onde intimidade é criada e calcada até ao extremo, numa procura constante de respostas.

Parte do showcase 10 anos da editora  Posh Isolation no Mucho Flow, CTM traz-nos “Red Dragon” o seu mais recente disco onde explora cordas acústicas e efemeridades digitais combinadas com vozes espontâneas e pedaços de electrónica.

39917993_2035013053208911_624935995179008000_o

Dada Garbeck

Rui Souza desenha camadas como sedimentos: cada loop inscreve-se na memória, e por lá fica enquanto os synths assentam em novas paragens, com novas texturas.


Editou “The Ever Coming” em Janeiro de 2019 pela Revolve, primeiro volume de uma tetralogia, e apresenta-o no Mucho Flow em formato “big band” para um concerto especial com as duas baterias de Ricardo Martins e Pedro Oliveira, o quarteto vocal Tetr’acorde, e ainda Carlos A. Correia como performer vocal.


Rui Souza desenha camadas como sedimentos: cada loop inscreve-se na memória, e por lá fica enquanto os synths assentam em novas paragens, com novas texturas.

68803033_2488801757845797_4939014963638304768_o

Damien Dubrovnik

Dupla formada por Christian Stadsgaard e Loke Rahbek, fundadores da Posh Isolation, chegam aos limites da música eletrónica inserindo melodias de órgão e violoncelo, numa experiência tão mordaz quanto sublime.


Dupla formada por Christian Stadsgaard e Loke Rahbek, fundadores da Posh Isolation, chegam aos limites da música eletrónica inserindo melodias de órgão e violoncelo, numa experiência tão mordaz quanto sublime.

damien-dubrovnik

Die Von Brau

Caracteristicamente experimental e eletrónico, Sérgio Faria traz uma atuação live a Guimarães, onde apresentará o seu mais recente trabalho “Arma”. Consolidando um extenso número de admiradores ao longo do tempo, Die Von Brau tem também sido aclamado pela crítica da especialidade.



Caracteristicamente experimental e eletrónico, Sérgio Faria traz uma atuação live a Guimarães, onde apresentará o seu mais recente trabalho “Arma”. Consolidando um extenso número de admiradores ao longo do tempo, Die Von Brau tem também sido aclamado pela crítica da especialidade.

unnamed-2

Dj Lynce

Pedro Santos vem pela sétima vez ao Mucho Flow, trazendo consigo a sua idiossincrática coleção de discos, carregado de técnica e inteligência quase poética.


Pedro Santos vem pela sétima vez ao Mucho Flow, trazendo consigo a sua idiossincrática coleção de discos, carregado de técnica e inteligência quase poética.

71493304_530491241103921_1199956447379587072_n

Manuel Félix contagia as pistas com uma mescla de dubstep, garage e techno sem compromissos e com certificado de qualidade.

Em 2018 lançou o disco mais intimista “Portrait with Firewood” baseado na sua relação próxima com o piano, mas a brotar do solo com uma multitude de arranjos electrónicos. Editou pela R&S em 2019 dois temas fortes de electrónica dançável “Hard to Say / Tournesol”.


Numa mescla de dubstep, garage e techno sem compromissos e com certificado de qualidade, em 2019 lança o seu trabalho com maior exploração dançável.

Djrum

Nascido na Califórnia em 1986, Gabriel Ferrandini é geralmente encontrado na cena musical livre e improvisada. Há três anos decidiu reinventar-se e dedicar-se à composição. Inicia uma nova abordagem com uma residência artística num dos mais prestigiados espaços portugueses: ZDB.

Após esse período, Gabriel decide fazer um retiro, questionando e calibrando a sua ligação com a música. Desenvolveu então um projeto solo, interessado principalmente em explorar os contrastes entre o acústico e os sons amplificados, combinando seu habitual kit de bateria com pedais do volume, subs pesados, baixas frequências e feedbacks. É uma experiência intensa, fisicamente e sonicamente, que nos vai fazer questionar os limites da música.



Nascido na Califórnia em 1986, Gabriel Ferrandini é geralmente encontrado na cena musical livre e improvisada. Há três anos decidiu reinventar-se e dedicar-se à composição. Inicia uma nova abordagem com uma residência artística num dos mais prestigiados espaços portugueses: ZDB.

Após esse período, Gabriel decide fazer um retiro, questionando e calibrando a sua ligação com a música. Desenvolveu então um projeto solo, interessado principalmente em explorar os contrastes entre o acústico e os sons amplificados, combinando seu habitual kit de bateria com pedais do volume, subs pesados, baixas frequências e feedbacks. É uma experiência intensa, fisicamente e sonicamente, que nos vai fazer questionar os limites da música.

6-gabriel-ferrandini-c-antonio-julio-duarte-1365×2048

Heavy Lungs

De tempos a tempos há bandas que conseguem, de forma incrivelmente ágil, juntar letras inteligentes e acutilantes com uma capacidade quase visceral de incendiar o público em palco.


 


De tempos a tempos há bandas que conseguem, de forma incrivelmente ágil, juntar letras inteligentes e acutilantes com uma capacidade quase visceral de incendiar o público em palco.

Heavy lungs Band

Hiro Kone

A multi-instrumentista de formação clássica tem vindo a assumir-se como uma das mais interessantes produtoras a usarem a música electrónica como espaço para debater os temas do humano.


A multi-instrumentista de formação clássica tem vindo a assumir-se como uma das mais interessantes produtoras a usarem a música electrónica como espaço para debater os temas do humano.

hk

Holocausto Canibal

Formados em 1997, a banda de grindcore de Rio Tinto é um exemplo do que melhor se faz em Portugal para o mundo pelo extreme. Com elementos de death metal, são também reconhecidos pelas letras de temática gore e preversão sexual cantada em português.


Formados em 1997, a banda de grindcore de Rio Tinto é um exemplo do que melhor se faz em Portugal para o mundo pelo extreme. Com elementos de death metal, são também reconhecidos pelas letras de temática gore e preversão sexual cantada em português.

file1-2

Iceage

Depois de dois discos marcados pelas influências post-punk e hardcore, procuram agora espaços mais lentos e luminosos, incluindo novas paletes sonoras, trazendo uma ideia de risco para o centro de ação da banda


Depois de dois discos marcados pelas influências post-punk e hardcore, procuram agora espaços mais lentos e luminosos, incluindo novas paletes sonoras, trazendo uma ideia de risco para o centro de ação da banda

bandphoto

Em constante discórdia com as normais sociais do lugar onde cresceu, emergiu-se no punk e hardcore, desenvolvendo depois um interesse no dub e experimental, refletido no trabalho desenvolvido ao longo dos anos.


Em constante discórdia com as normais sociais do lugar onde cresceu, emergiu-se no punk e hardcore, desenvolvendo depois um interesse no dub e experimental, refletido no trabalho desenvolvido ao longo dos anos.

BreakThrough2018_Jasss

Marco Franco

É à flor da pele que a composição de Franco, autodidata nas teclas, se sente, existindo numa tensão minimalista com um universo colorido de notas e de progressões maiores, alegres e cheios de um amor universalizado.

Reconhecido músico da esfera nacional, ao longo de mais de 2 décadas percorreu o hard-rock, trash metal, jazz experimental, e interpretará no Mucho Flow o seu primeiro disco a solo no piano “Mudra” (Revolve), do qual diz Gonçalo Frota no Público “é isso que se ouve em Mudra: Marco Franco, o pianista, entrando pelo instrumento, descobrindo uma segunda natureza.”


É à flor da pele que a composição de Franco, autodidata nas teclas, se sente, existindo numa tensão minimalista com um universo colorido de notas e de progressões maiores, alegres e cheios de um amor universalizado.

Marco-Franco_cred-VeraMarmelo

Montanhas Azuis

Marco Franco, Norberto Lobo e Bruno Pernadas são valores mais que referenciais da produção nacional recente, no Ilha de Plástico experimentam em torno de instrumentos analógicos, das guitarras aos sintetizadores.


Marco Franco, Norberto Lobo e Bruno Pernadas são valores mais que referenciais da produção nacional recente, no Ilha de Plástico experimentam em torno de instrumentos analógicos, das guitarras aos sintetizadores.

52057044_362214561038729_8412284995061678080_n

Shapednoise

Shapednoise é o produtor siciliano Nino Pedone. Fundador da REPTICH Recordings e da Cosmo Rhythmatic, concentra a sua pesquisa em ruídos e práticas inovadoras numa suposta produção convencional, resultando numa metamorfose de sons, estruturas e ritmos pouco comuns.
Com data de lançamento a 8 de novembro, Aesthesis, o primeiro disco em 4 anos, conta com a participação de Justin K Broadrick e Drew McDowall, entre outros.


Shapednoise é o produtor siciliano Nino Pedone. Fundador da REPTICH Recordings e da Cosmo Rhythmatic, concentra a sua pesquisa em ruídos e práticas inovadoras numa suposta produção convencional, resultando numa metamorfose de sons, estruturas e ritmos pouco comuns.
Com data de lançamento a 8 de novembro, Aesthesis, o primeiro disco em 4 anos, conta com a participação de Justin K Broadrick e Drew McDowall, entre outros.

Aesthesis_Leonardo_Scotti013

Tendency

Tiago Carneiro, enquanto DJ, é conhecido por ter uma linguagem única, assentada numa seleção singular que tem como intuito quebrar um sem-número de barreiras. Dono de uma cultura musical superior, as suas referências são as melhores que se encontram de Detroit a Berlim.


Tiago Carneiro, enquanto DJ, é conhecido por ter uma linguagem única, assentada numa seleção singular que tem como intuito quebrar um sem-número de barreiras. Dono de uma cultura musical superior, as suas referências são as melhores que se encontram de Detroit a Berlim.

Tendency-01©Victo Staaf